Home Acima Conteúdo              Verminose
Verminose Prevenção/Vermes

 

 

 

 

 

VERMINOSE NO BRASIL

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmam que mais de 2 bilhões de pessoas hoje estão infectadas com algum tipo de verme ou parasita. Estima-se que 60% dessas infecções têm associação a deficiências nutricionais, principalmente carência de ferro e vitaminas. Além disso, 2/3 da mortalidade mundial têm relação com doenças de veiculação hídrica, como as parasitoses.

No entanto ainda encontramos um alto índice de falso- negativos nos exames de parasitológico de fezes, esta afirmativa advém de nossa experiência na realização um exame de fezes mais acurado e com positividade em torno de 95% em uma população-alvo que pertence às classes sócio-econômicas A e B (Incidência e reincidência de enteroparasitas em indivíduos de classes sócio-econômicas A e B da cidade de Foz do Iguaçu-PR, Brasil-Dias,R.M.G;Copelman,H.).

Estas informações são preocupantes, pois se este quadro se apresenta para aqueles que tem água e esgoto sanitário, como será de fato a realidade das classes menos favorecidas?

Não podemos esquecer que no Brasil ainda se planta, principalmente hortaliças, com estrume (fezes animais e em alguns lugares até humanas) e irrigam as plantações com água de rios ou nascentes contaminadas, indo à nossa mesa hortaliças extremamente contaminadas, vinagre, limão, nada além de cloro e cozimento pode exterminar estes protozoários, ovos e cistos de parasitas. 

Em uma população que não tem o que se alimentar o resultado da parasitose é devastador, e em classes mais favorecidas, encontraremos doenças cronificadas, dispepsias crônicas, obesidade, alergias respiratórias, etc. Nas crianças ocorre comprometimento do crescimento físico e/ou mental, podendo levar à diminuição da imunidade, anemia, subnutrição, desnutrição e até a morte.

 Verminose NÃO É SOMENTE UM PROBLEMA QUE AFETA CRIANÇAS DE BAIXA RENDA, mas acomete todo nosso Brasil. Para mudarmos este quadro há que conscientizarmos e mudarmos nossas condutas de higiene, desta forma como formadores de opinião, exigirmos medidas sanitárias mais sérias tanto no saneamento básico, mas também treinamento e controle sanitário de restaurantes, bares, lanchonetes, agricultura, escolas, produtores de água mineral, filtros de água, fornecedor oficial de água em nosso estado e tudo que se relacione à veiculação de água e alimentos.

Para pensarmos um pouco mais:

Eis alguns dados estatísticos, com detecção de altos índices de positividade e resistência medicamentosa (provavelmente por tratamentos prévios sem diagnóstico do parasita, usando somente medicamentos de amplo espectro anuais, sem detecção específica  de parasitas em exame de fezes, e sem exame para controle de cura/erradicação do parasita):

ENTEROPARASITAS ENCONTRADOS EM 1º EXAME DE COPROLOGIA EM 145 EXAMES DE FEZES - 2002

Dias, Regina; Copelman, Helio.

 

 

 

Voltar ao início da página

 

Home ] Acima ]

Dra. Regina Dias - Última modificação: 02 abril, 2012